31/12/2008

O 2008 DA BANDARRAVET

Em vésperas de Réveillon, é bom fazermos um check list do ano prestes a terminar, entregando a "pasta" ao próximo.
Falar dessa noite continua estranho para mim, pois se por um lado "matamos" o ano ainda em posse, para festejarmos a passagem de testemunho ao próximo, se regredirmos um ano atrás, verificamos que "matamos" 2007 e festejamos com pompa e circunstâncias 2008, numa noite que, para muitos, ensurdecedora e temulenta no final pelo exagero de um bom Moet Chandon, o mesmo ano que hoje à noite, iremos despir do trono. Uma verdadeira antítese.
Aquilo que depreendo, é que vivemos em constantes dualidades neste mundo telúrico, inclusive, para quem gosta, os próprios astros. Mas se estivermos atentos, talvez seja o nosso subconsciente a falar e revelar ao de cima, que simplesmente, evoluímos. Nunca nenhum ano é igual a outro, mas por mais bom que tenha sido, quem não aspira o desejo de melhorar? Ninguém. Por isso a evolução é incontornável. Para os que tiveram um ano menos bons, é frequente nesta noite reflectirem o porquê de tal ocorrência. Para aqueles que o tiveram mais benevolente, irão reflectir os pontos que aspiram manter, melhorar ou até inovar. Contudo, ambos reflectem, aspirem que o próximo seja melhor. A eterna insatisfação do ser humano!
Eu diria, e talvez acham dúbias as minha palavras, que mais fácil seria esse caminho, o de melhorar, no entanto, acho mais difícil e reconfortante se acharíamos o caminho ao encontro do meio termo destas dualidades.

Sendo a porta voz da Bandarravet, é indiscutível que 2008, comparativamente ao ano transacto, foi um ano pleno de trabalho, novidades e edificações de novas estruturas.
Não sou pessoa de fazer muitas promessas; não sou política, e, quando as faço, faço-as numa vertente de desafio interno.
Uma certeza porém, a Bandarravet irá continuar a crescer; haverá novidades, conclusões de infra-estruturas, e alargamento de serviços, sem no entanto desviarmos-nos dos nossos princípios. Ou seja, continuaremos a evoluir. Tudo em prole dos nossos amigos.

E se dizem os entendidos, que os clientes, em média, numa consulta, retêm apenas 35% do que é dito, não é demais relembrar neste dia, uma evolução salutífera que a Bandarravet tem vindo a vislumbrar. O carinho, os cuidados, a forma de ver os nossos amigos de 4 patas, evolui positivamente. Ainda hoje, a pequena Ana Luísa, com apenas 4 anos, soube sensibilizar os pais para o abandono do "Keeper", um cachorrinho de tenra idade, deambulando pelas ruas de Trancoso, faminto e triste. Foi acolhido e veio hoje à 1ª consulta.



É esta mensagem que a Bandarravet deseja que seja retida, por vocês todos, amigos, clientes, leitores, que juntos, poderemos evoluir.
Relembrar que a pequena Ana Luísa demonstrou que 2009, tem de necessariamente evoluir nesse campo.

Em nome da Bandarravet, ficam aqui expressos os meus sinceros votos para que o próximo ano seja aquele que vá ao encontro dos vossos desejos, sejam eles quais forem, por ser certo que o caminho é para a frente. Porque evoluirmos a nível pessoal, é o mesmo que dizer ou aspirar a que vivamos todos por um mundo melhor.

FELIZ 2009

29/12/2008

NATAL EM PARIS


Entre muitas prendas, de grande valor sentimental, a que tive direito ao longo deste ano, recebi uma na minha caixa de correio: um bilhete para o Natal em Paris, de encontro ao meu mano, cunhada e sobrinha. Se ao longo deste ano aprendi um pouco a aceitar "viver o presente e o momento", como que se numa onda surfasse, lá fui eu então, rumo à cidade da Luz.
Conheço Paris, não tão maravilhosamente bem como o "GPS" do meu mano, pelos tempos de "emigrante" nascida no meu país natal, mas por ter sido onde se localizava parte da família, embora toda a minha infância não fosse lá passada. O meu irmão estabeleceu-se por Paris e as oportunidades de ter estagiado e a possibilidade de poder passar algumas férias foram-se proporcionando mais amiúde.
Paris é uma cidade mística, não só pelo patriotismo francês e magnanimidade da cidade em si, mas também pelo enorme valor cultural e arquitectónico que me fascinam.
Para além da época festiva, per si, tinha-me proposto, conhecer alguns meandros culturais que me despertaram curiosidade.

2007 foi o ano que descobri o médico e pedagogo Hippolyte Léon Denizard Rivail, sob o pseudônimo de "Allan Kardec", que transmutou em parte a minha visão de vida imbuída por novos ideiais. Quis este ano, que fosse conhecer o último lugar onde reside.

"Allan Kardec" Fundador da filosofia espírita: Todo o efeito tem uma causa; toda a causa inteligente tem um efeito inteligente; a potência da causa é proporcional à grandeza do efeito.

"Nascer, morrer, renascer de novo e progredir sem parar...Essa é a Lei"

Continuando o meu roteiro histórico, de Père Lachaise, sigo o meu trajecto cultural para o Panthéon, pelo metro. O que acho incrível é a mistura de etnias que encontramos, o que torna sempre a viagem no mínimo engraçado e até cómico, pois para além do português, francês, inglês, italiano e espanhol, que até reconheço, muito mais pude assistir naqueles "hieróglifos falantes" de asiáticos, africanos, americanos e oceanias. Acho sempre misterioso esse fenómeno de tanta mistura por metro quadrado...Tudo gira como se a diferença racial não se fizesse sentir; onde todos caminham em paralelo ou em sentidos contrários, como de um filme sem som se tratasse.
No Panthéon, quis de novo, voltar "com olhos de ver" o famoso pêndulo do Astrónomo Léon Foucault que demonstrou a rotação da terra, instalado pela primeira vez em 1851, desmontado antes que o futuro Napoleão III restituísse o monumento à Igreja Católica. O pêndulo viria a ser de novo instalado por Camille Flammarion aquando da vaga de anticlericalismo do governo, na véspera da lei de separação da Igreja e do Estado (1905), no âmbito de uma divulgação mais larga da cultura científica. A esfera actual data de 1995.


O pêndulo de aço, pendurado por um fio de aço de 67 metros, oscila cada 8 segundos, deslocando-se cada volta completa de 2,5 mm. A demonstração visual de Foucault veio corroborar a razão de Copérnico e Galileu.


Pude assistir nesse dia a uma excelente aula de 90 minutos de demonstração dessa história.
Nas criptas do Panthéon, podemos encontrar célebres personagens da história francesa que repousam – tais como escritores, cientistas, generais, políticos, filósofos, entre eles, Voltaire, Jean-Jacques Rousseau, Victor Hugo, Marat, Pierre e Marie Curie, René Cassin (direitos do Homem), René Descartes...



Voltaire, poeta, historiador, filósofo. "Expandiu o espírito humano e ensinou-lhe que devia ser Livre"

Finda a minha visita cultural, fui dar uma volta aos Champs Élysées. Numa mistura mística de luzes e pessoas, aos milhares de turistas, num som quase que ensurdecedor pelo movimento pedonal, de viaturas, bicicletas, motos e autocarros turísticos, numa probabilidade remota de encontrar um compatriota português, heis que fixei um olhar....

Pois é... cá está ele

A minha amiga Xana pediu-me que lhe trouxesse um "souvenir" dos Champs. Eu bem me esforcei e até encontrei uma, de encontro aos seus gostos....



Xana, lamento mas por questões de segurança, o meu mano aconselhou-me apenas em levar o meu bilhete de identidade. E ficou o meu cartão de crédito em casa...


Outra desilusão foi a loja da Nespresso. Sendo eu amante incondicional de um bom café e uma vez que na última visita feita a Paris, estava esta loja em construção, quis juntar o útil ao agradável, mas fui informada que o Sr George Clooney, por motivos de força maior não se encontrava nos aposentos da loja. Ora bolas...

Bolas iluminadas nos Campos, luzes e mais luzes. Pena que não posso transmitir o cintilante que eram...

Voltei à noite, até ao Trocadéro, fotografar a tour Effeil, que este ano foi iluminada de um azul fabuloso e cintilando durante 10 minutos por cada hora. Agradeço-te, manito, a tua paciência nessa noite gélida que se fez sentir, mas há momentos de luz que têm de ser recordados.



Bem, e se alguém gostar destes passeios culturo-lúdicos, numa próxima oportunidade que tiver, pode vir comigo! Até lá só me resta dizer "au revoir, tour Effeil, a la prochaine"!


Amanhã, terei de novo a minha bata, estetoscópio e termómetro! Mas uma realidade não menos luminosa...

22/12/2008

I BELIEVE IN FATHER CHRISTMAS



They said there’ll be snow at Christmas
They said there’ll be peace on Earth
But instead it just kept on raining
A veil of tears for the Virgin’s birth
I remember one Christmas morning
A winters light and a distant choir
And the peal of a bell and that Christmas Tree smell
And their eyes full of tinsel and fire
They sold me a dream of Christmas
They sold me a Silent Night
And they told me a fairy story
‘Till I believed in the Israelite
And I believed in Father Christmas
And I looked at the sky with excited eyes
‘Till I woke with a yawn in the first light of dawn
And I saw him and through his disguise

I wish you a hopeful Christmas
I wish you a brave New Year
All anguish pain and sadness
Leave your heart and let your road be clear
They said there’ll be snow at Christmas
They said there’ll be peace on Earth
Hallelujah Noel be it Heaven or Hell
The Christmas you get you deserve.

17/12/2008

O NEVÃO JÁ TEM DONO


Lembram-se do Nevão?

Pois bem, hoje encontrou o seu verdadeiro dono! Se há dias em que o nosso estado possa apresentar algum cansaço exagerado pelo dia atribulado que tivemos ao longo de todo o dia, nada mesmo comparado pela alegria sentida que tivemos ao doar o "Nevão", ao seu verdadeiro dono.




Não existe qualquer dúvidas em que será muito bem acarinhado, e recebido por todos os membros da nova família, que por infortúnio, ficaram sem o seu "Oscar", a semana passada por atropelamento. Recebemos há pouco um telefonema em nos agradecer tal oferta. Estão radiantes. Não consideramos uma oferta, mas sim um dever cumprido. Proporcionar ao "Nevão", um futuro tranquilo, de paz e de amor. Numa quadra como esta, sabemos que para a crianças daquela família, o sapatinho chegou mais cedo....Mas como eu costumo dizer, o Natal está dentro de nós, e hoje foi Natal!

Sim "Nevão", chegou a tua família! :)

Vida longa, amigo.

16/12/2008

UMA NOITE DE PAZ

13/12/2008

OS ANIMAIS SÃO ANJOS



"Animais são anjos disfarçados, mandados à Terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade."

(autor desconhecido)



11/12/2008

NATAL ILUMINADO

video


Simplesmente, magnífico...

07/12/2008

A HISTÓRIA DE VIDA DA "PIMPIM"


Se muitas vezes pensamos que há animais que nascem sob mau infortúnio, ou para sofrerem, ou uns, mais afortunados que outros, responderia que sim. No entanto, todos nós sabemos, por já o ter passado, que é no sofrimento que afloramos estados de consciência, que até então, se encontravam, "camuflados", por momentos mais gloriosos.
A história da "Pimpim", uma cadela Beagle, é uma verdadeira história, e escola de "passagem pelo sofrimento". Nascida entre mais 4 irmãos, conheceu a clínica, por motivos de doença. O diagnóstico na altura, sombrio e constrangedor pois ela e os irmãos padeciam de Parvovirose, doença vírica, mortal e de prognóstico reservado. De entre os 5, houve uma baixa. Na altura a "Pimpim" por ser uma das mais pequenas e franzida da ninhada, foi a última a recuperar.


Passado 1 mês, voltou com um quadro neurológico, grave: poliradiculopatite idiopática que lhe afectariam em poucos dias, os 4 membros. A "pimpim" estava praticamente tetraplégica. Movia -se apenas com a sua cabeça frágil, de uma cachorra de apenas 4 meses.


Valeu nessa altura, a abertura e insistência do dono em continuar o tratamento, lento e incerto pela patologia em causa. Mas a "Pimpim" não ficou alheia aos sentimentos do "staff" clínico e de todos os donos que a vieram a conhecer, na sala de internamentos, aquando das visitas aos seus doentes. Lá se encontrava ela, de olhos tristes e brilhantes no seu aconchego. Tantas vezes passei tempo com ela, tentando imaginar e sentir o que os seus olhos tentavam exprimir...uma certeza, porém, sentia...não era de desistir. Na altura, também foi imprescindível a presença da minha sobrinha,Clarisse, que, encantando-se com a "Pimpim" proporcionou-lhe autênticas aulas de fisioterapia e reeducação motora.







A "Pimpim", lentamente indiciava aos poucos, alguma melhoria. Foram quase 2 meses, de fortíssima medicação (incluindo morfina, por causa das dores) e cuidados específicos. Tempo que para a maioria das pessoas, teria tido um fim prematuro, como podem imaginar.
A mim, foi reconfortante, falando em termos profissionais, pois acompanhar uma doença (e incertezas também) mais tempo, todos nós, colegas, ansiamos por isso. Quando ajudados pelo dono, melhor. Ao longo de todo o tempo de convalescença, sofrimento e dor foram uma constante. Tempo, também... uma ansiedade por cada dia passado, perspectivando melhoras.
Aos 52 dias do seu segundo internamento, a "pimpim", começava a deambular pelo consultório adentro... O pior já tinha passado!



Lembramo-nos bem o belo grito de alegria que a Clarisse manifestou por tal acontecimento. Todos nós ficamos radiantes.



Desde esse dia, as melhorias eram galopantes, a "Pimpim" recuperava a olhos vistos. Aos 3 meses de "hospedagem" aqui, e por motivos de "alta clínica", chegou o dia da partida. Por detrás de toda essa tensão, e não obstante a nossa alegria de vê-la recuperada, nunca imaginaríamos o que nos esperava: o dono, César e amigo também, doou-nos a "Pimpim" afirmando que a Princesa ("Pimpim") estava no lugar que pertencia a uma verdadeira princesa! Os choros de tristeza pelo quais todos passámos se transformaram em verdadeiro estado de júbilo.
A "Pimpim", ficava! A Clarisse tornou-se a sua dona. Hoje, ela representa o verdadeiro "cartão de visita" aos internados, ajudante de recuperação a muitos deles, por ser amável com todos.

Hoje, ninguém fica indiferente à história dela. Também posso, ou podemos afirmar, que ninguém fica indiferente à ela. O "anjinho" que mostrara ser em pequena, depressa se esnaveceu. Hoje apelidamo-la de "monstrinho", tão grandiosa é a lista de estragos: canetas, molas, calçado (muito calçado), pen-drive, web-câmara, head-phones, óculos, baldes, sacos, pás, colheres, cobertores, arbustos, comida (dos outros); tudo o que possam imaginar ao alcance da arcada dentária dela, num pequeno minuto que possamos "virar-costas"...

Brinquedos com ela? Esgotaria a mesada de muitos e nós...


Mas, se dizem os pais, que os filhos são imprevisíveis, sem no entanto deixarem de os amar, não é somente por esses pequenos inconvenientes que nos façam gostar menos dela. Sem essas surpresas inerentes à sua própria individualidade e força de vontade em ter vencido na vida, a "Pimpim" não teria de certo, enchido de alegria, os nossos dias.


Uma verdadeira lição, onde tudo passa, mesmo o sofrimento...


Obrigado César, pela dádiva.


03/12/2008

NATAL DOS ANIMAIS: ADOPTAR? AS BOAS PERGUNTAS QUE TERÃO DE SER FEITAS.


ESTAREI PREPARADO PARA ME COMPROMETER A LONGO TERMO?

Aceitar um gato, cão, é assinar um "contrato" de 10-15 anos. Cuidado ao "amor à primeira vista" que se poderá tornar um fardo quotidiano. Façam uma projecção futurista para dentro de alguns anos se perguntam a vocês próprios, se o animal terá sempre o mesmo lugar.

POSSUI MEIOS PARA ASSUMIR UM ANIMAL?

Para além do preço que possa estar inerente à um processo de adopção, façam uma avaliação ao possível orçamento ao qual deverão estar preparados: alimentação, vacinação, veterinário, produtos de higiene e acessórios, brinquedos, hotel... e possibilidade de treino, ou seja cerca de 500-800€ /ano (depende do tamanho do animal).

TEREI TEMPO DISPONÍVEL PARA ELE?

Nas primeiras semanas, o vosso animal terá necessidade de toda a vossa atenção, a vossa firmeza e indulgência para se familiarizar ao novo lar. Com um cão, lembrem-se das saídas à rua, pelo menos 4 vezes por dia (mesmo com mau tempo), caminhadas no fim de semana... Com um gato, a educação, a escovagem, e cuidados porque eles requerem também uma importante atenção.

TEREI ESPAÇO SUFICIENTE PARA ELE?

Cuidado com um São Bernardo num T0! Os cães necessitam de bastante espaço para eles. Podemos ter cães de raça grande num apartamento mas aguardam-se para dispensar mais tempo no exterior.

ESTAREI PREPARADO A MODIFICAR OS MEUS HÁBITOS?

Um animal, altera a nossa vida, ao ponto de nos adaptarmos-nos às necessidades dele. Se o vosso emprego lhe ocupa o dia inteiro, estando apenas disponíveis à noite, talvez seja mais sensato não acolher um animal.

EXISTEM ALERGIAS NA FAMÍLIA?

Asseguram-se que não existe nenhuma contra-indicação na presença de um animal no vosso lar. Será uma enorme decepção de ter de aniquilar o acto de adopção por incompatibilidade médica.

PODEREI ASSEGURAR A SUA GUARDA DURANTE AS MINHAS FÉRIAS?

Que seja através de um familiar ou amigo de confiança, seja num hotel, devem-se informar sobre o meio que irão escolher na vossa ausência. Antecipando esta visão, evita-se esse stress.

A VINDA DE UM NOVO MEMBRO SERÁ PREOCUPAÇÃO PARA OS OUTROS ANIMAIS?

Não existem razões para que isso venha a acontecer. Pode, no entanto demorar mais algum tempo com os gatos, que são muito territoriais. Neste caso, é aconselhável que os deixem domesticar mutuamente sem forçar.

TODOS OS MEMBROS DA FAMÍLIA ESTÃO DE ACORDO?

Conversem. Toda a família partilha o desejo de acolher um animal? Cada membro da família está consciente da sua responsabilidade? Não dêem às vossas crianças, tarefas que não poderão assumir.



FAÇA QUE A VIDA DELE SEJA UMA VERDADEIRA PRENDA, PARA ELE E PARA VÓS

29/11/2008

"B", DE BANDARRAVET, "B", DE BRANCO, "N" DE NEVÃO

Hoje cedo, uma amiga minha me ligou, despertando-me na ânsia de me dirigir à janela. Quando olhei, nem queria acreditar. Uma natureza coberta de branco. Como os meus cães pernoitaram dentro da clínica pelo frio que se fez sentir (ontem -7ºC às 22.00h) estava tudo "virgem" de pisadas, um manto belo, branco... Para nós, Trancosenses, que estamos acostumados, muito embora há uns anos que não víamos assim neve, é uma sensação no mínimo, inigualável... Desfrutem então, para quem não conhece, nem pode sentir este espectáculo deslumbrante a que hoje fomos presenteados.
















Contudo e porque não há bela sem senão, foi triste constatar um choro de bébé cão que se ouvia do lado de fora do portão da clínica. Fui ver... ao pé do caixote do lixo estava um bébé, chorando, tremendo de frio e de fome com certeza, pois não faço a menor ideia do tempo que esteve aí tamanho gesto de crueldade... Está a ser tratado com todas as mordomias inerentes à clínica, e escusado será dizer, que o baptismo está feito: "Nevão".












Obrigado Xana, por me teres acordado!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...